sábado, 9 de janeiro de 2010

Eutanásia: sim ou não?

Duque - 3 anos

Estou com um paciente internado há 5 dias, um rottweiller de 3 anos de idade.Ele tem insuficiência renal crônica e todas as conseqüências disso. Os dados dos exames não são animadores, ele já passou por uma transfusão de sangue, não quer se alimentar e está deprimido. Ontem consegui que o dono, um senhor muito educado e simpático, finalmente fizesse uma ultrassonografia. “O último exame que vamos fazer pra ver se ele ainda tem alguma chance”, disse ele. As imagens não foram nada animadoras: rins hipotrofiados, destruídos. As chances desse cão, o Duque, sobreviver sem internamento até passar a crise urêmica, se passar, são pequenas. O maior problema na insuficiência renal é que a uréia, composto que tem de ser eliminado pelos rins, começa a se acumular no organismo e provoca náuseas, vômito, úlceras no trato gastrointestinal, diarréia e afeta vários órgãos (especialmente o fígado). Trocando em miúdos, ela intoxica o animal lentamente. Num caso crônico como esse, o animal se adapta a um limiar alto de uréia, mas a medida que isso vai piorando, ele precisa de um novo suporte (medicamentos, alimentação adequada, reposição hídrica endovenosa) e tem que ficar internado. Infelizmente, aqui em Uberlândia, não temos clínicas de hemodiálise para cães. Até conseguimos quebrar um galho fazendo diálise peritoneal, mas não é suficiente, é só um paliativo para continuar lutando pela vida.
Hoje falei com todas as letras o que o dono do Duque não queria ouvir: “ele não tem chances de ficar bem se for para casa agora. Ele precisa da diálise peritoneal e precisa continuar internado por tempo indeterminado, até a uréia baixar, até voltar a comer, até os vômitos estarem bem controlados. Se isso acontecer.”. E ele me respondeu o que eu tinha certeza que ia ouvir e não queria: “então vamos sacrifica-lo, não quero que nem ele e nem a gente sofra mais”. Eu, instintivamente, respondi: “então a internação dele termina hoje. Mas o senhor o deixa aqui que eu ainda vou tentar, mas de agora em diante a responsabilidade é minha". Como se a dona dele fosse eu! Ele foi embora desolado, com os olhos rasos de lágrimas; sei que fez essa opção porque, no pensamento e concepção de vida dele, é assim que vai aliviar o sofrimento do seu cão. E foi a primeira vez que não tive vontade de xingar alguém que me falasse em sacrificar um animal.
Só que a minha missão é lutar pela vida, dando dignidade e bem estar aos meus pacientes. É amenizar o sofrimento quando não é possível acabar para sempre com ele. É, sobretudo, cuidar do meu paciente com amor, atenção e respeito até o último dia da vida dele. E eu não tenho o direito de encurtar essa vida, de interferir assim no destino, de apressar as coisas. Assim como não tenho o direito de prolongar qualquer sofrimento e de brincar de ser Deus ou o diabo. Eu nunca eutanasiei um animal e o meu maior sofrimento é quando não consigo tirar toda a dor do animal e vejo que ele morreu com algum mal estar. Só que o que o dono entende como "sofrimento" do animal, na maioria das vezes, é o sofrimento dele próprio. O sofrimento de não poder fazer muita coisa, o sofrimento financeiro, o sofrimento de ter de arranjar tempo para cuidar de um moribundo, o sofrimento de ter de abrir mão de muitas coisas para si para conseguir cuidar do seu animal de estimação.
O animal sente por estar longe da sua casa, do seu dono, mas o mais impressionante é como ele sabe reconhecer que está sendo cuidado, mesmo que por estranhos. O Duque chegou aqui de focinheira, eu recebi mil avisos para ter cuidado que ele era muito bravo. No dia seguinte o dono dele chegou e tomou um susto quando me viu abrir a gaiola de internação, fazer carinho nele, trocar o soro, dar água, coloca-lo de pé, e ele nem ao menos fazer cara de que ia me devorar. E estava sem focinheira.
Como sacrificar um animal assim? Como acabar com a vida de um bichinho que só precisa de mais um tempo de cuidados e carinho? Eu sei o final desse filme. Infelizmente, já o vi muitas vezes, inclusive com um dos meus cães. Sei que o tempo de vida do Duque é curto e cheio de altos e baixos. Sei que talvez ele não reaja nada à diálise que vou fazer na segunda-feira. Mas, e aí, por achar que o final pode ser a morte, inevitável para todos nós, eu tenho que procurar uma foice e fazer o papel da dita cuja? Não mesmo! Duque morrerá com nobreza, no tempo que a sua natureza determinar.

Agora olhe você pra essa carinha aí na foto e me diga: como sacrificar olhos assim, embora tristes, tão cheios de vida?
Quem ama seu pet, levanta a mão e grita: EU!
:o)

53 comentários:

  1. Karine,
    Se algum dia me perguntarem se conheço um veterinário completamente merecedor de cuidar de um bichinho vou dizer que si, e que ela mora em Uberlândia e se chama Karine.
    Chorei de verdade ao ler seu texto, e sinto profundamente pelo Duque.Ano passado minha cachorrinha morreu com esse mesmo problema, e morreu internada. Peço a Deus todos os dias para sempre ter coragem de cuidar e jamais de matar.
    Muito obrigada por tentar salvar o Duque; ele é agora mais seu do que do antigo dono.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Poxa, é claro que dá uma dó só de pensar em sacrificar o bichinho. É claro que dá profunda tristeza em vê-lo assim tão doente, prestes a morrer.

    É sempre uma decisão difícil, mas as coisas devem correr naturalmente. Deixe que a natureza faça sua parte. Quando chegar o momento, a hora de ser...

    Além do mais, enquando houver vida, há esperança.

    ;)

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi karine, queria muito poder falar um pouco sobre essa profissão linda com voce.
    Passei pro 3º ano do ensino médio, e até pouco tempo iria fazer direito (meu pai é advogado) porém, nao tenho paixão por essa profissao, e pra falar a verdade fico triste em ver que nao tenho paixão por profissão alguma. Sempre tive amor por animais, e de um tempinho pra cá me ocorreu a ideia de fazer veterinaria! pq não?
    Só que queria conhecer um pouco mais o curso, as materias que ele abrange, essas coisas.
    Voce poderia me ajudar ?
    meu msn é: liiu_depp@hotmail.com
    meu blog: www.blogmeumundomeu.blogspot.com
    tenta entrar em contato, por favor !

    ResponderExcluir
  4. Meu Deus que situação!!! Nossa me deu uma angústia. Nem sei o que dizer, fiquei muito emocionada. Lidar com a morte não é fácil, ainda não tive coragem de escrever um texto sobre o assunto. É preciso ser muito forte!

    ResponderExcluir
  5. Karine,
    estou apaixonada pelo seu blog. Acho q se estivesse na fase de escolher uma profissão, até iria seguir a de veterinária, rs. Tá lindo, seus textos são dignos de escrever um livro, pense nisso. Este texto da Eutanásia, então, é maravilhoso. Quase chorei ao ler e concordo plenamente com você. Não somos Deus para tirar a vida de ninguém. Assino embaixo. Um beijo enorme !
    Andressa

    PS: coloquei meu marido também como seguidor do seu blog pq gostei muito viu ! rs

    ResponderExcluir
  6. Oi, Karine.
    Comungo de seus sentimentos em relação à morte prematura de animais quando há a possibilidade da assistência adequada. Sei que posso vir a passar por muitas situações parecidas com a do Duque. Afinal, são tantos animais com que convivo. Peço a Deus a paciência e a esperança necessárias para oferecer o que meus bichinhos precisarem nessa hora. E, sinceramente, espero que você esteja por perto quando este dia chegar. Que o Criador possa lhe recarregar todos os dias com a coragem e a força necessárias para a sua missão. Grande beijo! Força, Duque!!!

    ResponderExcluir
  7. Confesso que muito me emocionei porém, vc já pensou em uma coisa? A agonia da dor é muito triste, imagine estar em coma e tentar falar, abraçar, conversar e não conseguir?
    Sou a favor da eutanásia inclusive humana pq tem horas que a dor ultrapassa a vontade de viver. Imagino que vegetar na cama por um tempo sem mostrar sentimentos é triste e acredito que o paciente mostra de alguma forma se quer ou não viver.
    Lembra da Fêfe a cadela da Daise? Ela sim, lutou até o fim pq ela tinha vontade de viver. Agora, será que esse cão quer viver assim?
    Deixa o Duque te contar se quer viver ou não. E se algo nos olhos dele dizer "eu quero viver" lute. Mas veja se ele quer isso, porque Às vezes quem quer isso é a gente pq amamos o animal, pq queremos ser vencedores, pq queremos mostrar que somos capazes de curar. Às vezes o Duque não quer ficar mais nesse mundo e ele percebeu que o mundo que o espera é bem melhor que esse.

    ResponderExcluir
  8. Ká, nem preciso falar que chorei, né... adoro seus textos e sua paixao nos animais!

    Beijos

    Ana e Pokolino

    ResponderExcluir
  9. Então,até poderia comentar o texto sobre eutanásia, mas não vou, porque quero usar esses espaço para contar uma coisa muito triste que aconteceu comigo ontem, e se não fosse a Karine com certeza seria muito pior, aliás a Karine e o Leandro. Eu estava chegando em casa depois de um dia cansativo e no caminho enquanto dirigia, ia pensando, que bom chegar em casa mais cedo, cuidar dos meus cachorros mais cedo, e ter um tempinho a mais para descansar, e como acontece todo dia, quando cheguei em casa estavam 3 dos meus 4 cães me esperando no portão, o outro tem que ficar preso porque não se dá bem com os outros, e além dos meus 3 estava a cachorrinha da minha cunhada que agora reside lá em casa, bem, desci do carro, abri o portão e esperei que o Iago entrasse no meu carro como faz habitualmente, ele não quis, antes disso, deixa eu apresentar o Iago, ele é um Spitz Alemão que eu adotei a uns 3 anose ele já tinha 3 anos de idade, a dona o abandonou em um hotelzinho porque tinha dado a luz e não o queria mais, eu apesar de preferir cães de porte maior não aguentei e o adotei, no terceiro dia comigo ele já chorava quando eu saia do carro e ele via que ia ficar sozinho mesmo que por alguns segundos, o tempo foi passando e ele foi se aproximando cada vez mais de mim, até virar minha sombra praticamente, ele é um poço de carinho e de carência, mas muito inteligente e obediente, quando está no meu quarto e quer sair, ele choraminga, dá umas rodadinhas e olha para a porta, quando abro ele sai em disparada, quando acaba a água dele a noite e eu estou dormindo, ele choraminga e dá as mesmas rodadinhas, só que perto da vasilha de água, mas também não posso esconder que ele é bem do chatinho, tipico baixinho, estressado e rabujento, briga com todos os outros machos, muito maiores que ele, e ama a única fêmea da casa, que é a Belinha uma labrador imensa, lambe os olhos dela, não gosta que passem o pé nela, a mão pode, desde que seja com carinho, se ele pressentir que alguém está sendo brusco com ela, ele avança, mesmo quando vamos fechar a porta de casa e ele entra e ela fica de fora, ele acha ruim o fato de fecharem a porta na cara dela. Mas mesmo sendo esse baixinho chatinho, eu o amo, amo o jeito que o olho dele brilha quando olha pra mim, amo o quanto ele me respeita, amo o quanto se esforça para que eu entenda seus desejos e necessidades.

    ResponderExcluir
  10. Agora que já conhecem pelo menos um pouco da personalidade dele vou continuar... Como dizia, ele não quis entrar no carro, não é um hábito mas as vezes acontece, então, fui entrando rumo a garagem, com os cachorros em volta do carro, o único que não tem esse hábito é o Iago. Mas ontem não foi assim, não sei como, nem porque, ele foi parar em baixo da roda do meu carro, e eu o atropelei, mas para mim ele estava bem longe do carro como sempre fica, só que alguma coisa dentro de mim me mandou parar o carro, quando desci ouvi um ganido, meu coração gelou, e fui atrás do carro, nessa hora a minha alma gelou, quando vi o meu baixinho se contorcendo no chão, por alguns segundos não conseguia decidir, se respirava, se me segurava em cima das minhas pernas, se me apoiava no carro, e quando meu corpo num sacudido resolveu ir para cima do meu baixinho ele virou de lado e pude ver o quanto ele estava machucado, um dos olhinhos dele saiu da órbita, e quem me conhece sabe que apesar de lidar com animais desde que me entendo por gente, olho é uma coisa que me dá muita aflição, a ponto de sentir ânsia, mas é nessas horas que sei o porque a coisa mais importante pra mim nessa vida, se chama, AMOR, tenho certeza que foi o amor que sinto por ele que me fez ter sangue frio de pegar ele no colo no estado em que estava e correr com ele para a clínica, do caminho liguei para a Karine com a voz falhando e pedi para ela esperar por mim e por ele, e contei o que havia acontecido, e como também acredito que Deus, ajuda quem ama, corri pelos quase 20km que separam minha casa da clínica e não aconteceu nada de ruim. Chegando lá a Ka e o Le já estavam esperando, boa parte da angústia que eu estava sentindo foi aplacada pela confiança no profissionalismo desses dois seres iluminados, enquanto eu dirigia eu pensava no meu interior, "eu matei meu cachorro, eu matei meu cachorro...", e isso me doia muito. Depois de mais de 2 horas o Iago saiu de lá, e na medida do possível parecia estar bem. Foi encaminhado para um amigo que tem plantão 24hs porque ele precisava ficar no oxigênio, no caminho para lá meu baixinho conseguiu me emocionar mais uma vez nessa vida, não sei se era a anestesia que estava passando ou o que era, só sei que ele começou a choramingar e ai eu conversei com ele, disse, " Iago, meu principe, eu estou aqui, fica calmo que você vai ficar bem, me desculpa pelo que aconteceu, não devo me sentir culpado, mas não consigo, então me desculpa meu baixinho." Depois disso ele não emitiu mais nenhum som.

    ResponderExcluir
  11. Depois que o deixei internado, fui para casa, mas como seria chegar em casa, e ver as coisinhas dele dentro do meu quarto, e lembrar do que havia acontecido a poucas horas. A única palavra que pode descrever o que aconteceu quando entrei lá, é, HORRIVEL, nessa hora a adrenalina já havia baixado, e assim como em outras situações que ocorreram na minha vida, é aí que eu desabo, chorei vendo a caminha dele, chorei vendo as vasilhinas dele, chorei quando fui cuidar dos outros cães, e não precisei colocar ração na vasilha dele. Tomei banho chorando, depois fui para a cama já sem chorar, mas tinha um único fio do pêlo dele na tela da TV, chorei de novo e todas as imagens ruins do que aconteceu invadiram minha cabeça, achei melhor tomar um remèdio, pois não iria conseguir dormir, e aquelas imagens não sairiam da minha cabeça enquanto eu estivesse acordado. De madrugada acordei, a primeira coisa que fiz foi pegar o celular e ligar para ter noticias do meu baixinho, ele estava na mesma, não sei se nessas horas isso ajuda ou atrapalha, estar na mesma... Consegui dormir de novo com ajuda "divina", e hoje quando acordei liguei para ter noticias e fiquei sabendo que a Karine havia se adiantado, então desliguei e liguei para ela, no raio-x ficou claro que além dos ferimentos externos, ele estava com 2 costelas fraturadas e com liquido no pulmão, mas estava estável, a pouco tempo liguei de novo e a respiração dele está bem melhor, meu coração me diz que meu nanico vai ficar bem, mas por mais que me digam que foi um acidente, eu sinto uma culpa e um remorso sem tamanho, espero que tudo isso passe e ele volte logo para casa, para irritar e alegar a todos, e para defender minha mãe porque como ela mesma diz, homem nenhum chega perto da porta de casa, não importa se está indo lá para entregar gás, pizza, ou se está cuidando do jardim, ele odeia que homens estranhos se aproximem da minha mãe.

    Ká e Le, muito obrigado por tudo, amo e admiro muito vocês!!!

    Lu e Iago

    ResponderExcluir
  12. Olá! Cheguei aqui através do blog da Jady... sei o que é isso, meu gatinho também sofria desse problema. Ficou comigo por 12 anos e 11 meses, e eu tentei todo esse tratamento até o último minuto, quando o próprio veterinário informou não haver mais chances.
    E doeu muito, viu? Ainda dói, toda vez que lembro... ela faz muita falta na minha vida.
    Tenho a história dele no meu blog (desatualizado por sinal) eu já havia parado de escrever mas tive que registrar a importância do meu Simba ali.
    Parabéns por sua atitude! Faço votos de que o Duque responda ao tratamento e viva feliz.

    Shê

    ResponderExcluir
  13. O Duque era um cão hiperativo, bebia aguá o tempo todo e adorava pneus, odiava veterinários, por isso ficamos com medo dele avançar em vc, mas por incrivel que pareça ele deixou até vc pegar nas orelhas dele, olha que ele rosnava pra mim toda vez que eu as tocava!!!
    Quando vc abriu aquela grade e pegou ele, apertou, furou, tudo sem fucinheira, meu coração tremeu, o outro veterinário não conseguia nem ouvir o coração dele que ele já rosnava e qse arrancava a fucinheira fora e remia de vontade de dar uma mordidinha nele.
    Isso pra mim não tem outra explicação, é dom, dádiva de Deus.
    Muito obrigada por tudo Karine, meu avô sofreu muito e meu irmão, nem conseguia ir na clinica, mas creio que o duque sofreu mais,mas eles nao ficaram piores pq tinham a certeza de q ele estava nas melhores mãos possiveis.
    E obrigada por nao deixar sacrificá-lo.
    bjos

    RENATA

    ResponderExcluir
  14. Olá Karine...
    Sou prima da Renata...
    Ela me mandou o link de sua matéria sobre o Duque...
    Eu chamava ele de trenzinho... rsrsrs
    Quando ia na minha vó eu quase não conseguia andar porque ele fica andando em volta de mim e quase me derrubava... rsrsrs
    Muito obrigado por seu cuidado...
    Ele realmente foi na hora certa, pois iria ser privado de muita coisa em sua alimentação de que gostava, e isso não ia ser bom pra ele, assim como não pe bom pra gente quando ficamos doentes...
    Que Deus te abençõe muito...
    Você tem realmente dom e muita capacidade...
    Te desejo o melhor...
    Ass: MARINA

    ResponderExcluir
  15. Karine acabei de conhecer seu blog ...ahhhh fiquei super comovida com a historia do duque ...já levei meu cachorrinho na clinica de vcs ... ameii.. o toff foi operado pelo seu marido ... vcs com certeza alem de profissionais da para perceber q td e feito com amor ... e eu penso que para ser um bom veterinario vc tem que amarrrrrrrrrr os animais ... assim como percebi em vcs!!!
    Gostaria de saber como fazer qdo eu achar um caozinho ...para doar ele ... bjos admiro mto gente como vc!!! bjos
    Pri Schiavinato

    ResponderExcluir
  16. sou a favor da eutanásia. Minha cadelinha está na mesma situação mais o caso dela são tumores que estão tirando a qualidade de vida..confesso que me emocioeni com esta história...mais a melhor decisão é pensar com a razão sem levar em conta credos e religiões e livrar o cão do sofrimento. Hoje estou nesse dilema mais pela situação de minha cadelinha vou tentar chamar um veterinário até segunda feira no máximo para preticar eutanásia...espero que este cão descance logo também é o um ato de carinho livrar o sofrimento...

    luma chiara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não somos deuses para tirar a vida de um animal....Mas também não somos deuses para PROLONGAR a vida de um animal que somente sofrerá ainda mais com o "tratamento" proposto pelos que batem a mão no peito dizendo amar os animais, mas não "tratarão" do seu bichinho se você não tiver o dinheirinho .
      A eutanásia é um ato de amor SIM!!!!!! ABS

      Excluir
  17. Puxa Karine,

    Entrei no seu blog para conhecer, já tinha visto o link em alguns outros blogs... mas agora entendi o por quê...
    Achei muito bom seu post sobre eutanásia... e iria mais longe, se não temos coragem de aprovar isso para o ser humano, por que para os animais existem pessoas que não relutam em achar que essa é a única saída?
    Entre outras considerações que poderíamos ficar aqui falando....não?
    Belíssimo post, minha filha peluda agradece imensamente...queria que alguns vets por aí te conhecessem... hehehe!!!
    Que Deus sempre te proteja!!

    Beijinho,

    Ana e Scully

    ResponderExcluir
  18. Não sei o que fazer, é muito dificil a decisão da eutanásia. Minha Talita tem 6 meses e esta com cinome, já não anda, quase não respira, vômita e defeca sangue. Toma a cada 2 horas uma seringa com vitamina C, potenay, aminaocidos, glutamina, além de leite, figado e sustagem e nada, já tem um mês de luta, toma doxiciclina de 100mg e agora piorou os tiques no corpo todo e um catarro sem fim do nariz. Devo continuar com o sofrimento dela???? Ou deixá-la descansar? O outro apesar de ter 12 anos esta se recuperando e ela não, o que fazer??? Me ajude!!! lucianna_de_oliveira@hotmail.com

    ResponderExcluir
  19. Angela Pingitore9 de junho de 2010 17:59

    Dra. Karine,
    Não sabe como entendo tudo isso ...
    Tenho um daschund com 14 anos e em tratamento para IRC há quase 1 ano (em julho terão sido 12 meses de tratamento de fluidoterapia diária, onde eu e meu marido tivemos de aprender a ministrar caseiramente o tratamento).
    Ele (e nós) encontramos aqui no RJ duas importantes pessoas (e com elas muitas outras): Dra. Eunice (da Barra da Tijuca - sem a qual Billy não teria tido socorro há tempo) e a Dra. Karine Kleine (que não nos deixa desistir nunca).
    Billy está desde de bebê conosco e é, sem dúvida, um membro da família - eu até arriscaria dizer que nós somos membros da família dele ... pois nós é que fomos aceitos.
    Até apresentar o problema renal, Billão era um touro! Comia como um cão de grande porte, sem ser obeso. Veterinário era sinônimo de vacinas ...Era ativo e não nos deixava passar da hora todos os dias pela manhã, pois era sua hora de ir para seu passeio matunino.
    Fosse em casa ou em qualquer outro lugar para onde o tivéssemos levado - ele sempre nos acompanhava nas viagens, na hora de acordar valia de tudo: sacudidas de orelha, lambida na cara ou latidos como útimo recurso. O importante era ser atendido.
    Hoje, estou digitando e ele está dormindo ao meu lado, embrulado em edredons (piorou nos últimos dias), de onde pouco sai ou demonstra grande interação.
    Ele faz acumpuntura e fisioterapia, além da fluido diária. A qualidade de vida tem sido satisfatória.
    Atualmente nos vemos no dilema do que mais fazer. Seus exames de hoje nos revelaram uma alta de uréia para 420 - quase impossível acreditar ... outros já teriam morrido.
    Mas ele está aqui ... não desiste!
    E se ele não desiste, como podemos nós pensar em desistir ...
    Bola para frente!
    Vamos testando receitas de comidinhas que despertem seu interesse (ele perdeu muito peso e está cada dia mais seletivo), vamos nos revesando no soro diário, nos passeios cada dias mais curtos e lentos, nas trocas de horários para deixá-lo o menor tempo possível sozinho ou nas muitas visitas noturnas à área de serviço para mais um pipi.
    Sabemos que o sofrimento (nosso) é enorme, mas ele parece nada sentir - ele jamais chorou de dor ou deu sinais de algum tipo de sofrimento.
    Hoje já aceitamos que tudo é uma questão de tempo - como é para todos, a(o)final!, mas esse tempo será de carinho, muito amor e conforto.
    Força para quem passa por isso. É tudo que posso aconselhar.
    Por aqui, continuamos na luta ...
    Parabéns, Dra. Karine, por seu espírito de luta, por sua perseverança e crença na vida.

    ResponderExcluir
  20. No dia 22 de junho Billy nos deixou.
    Da forma como havíamos escolhido que seria: em casa, no seu espaço e com carinho de seus donos.
    Não sabemos, ao certo, o que levou Billy de nós, uma vez que as complicações cardíacas e renais já se misturavam. Ele já estava bem fraquinho e só se alimentava através do que eu lhe ministrasse por uma seringa, no cantinho da boca. A única coisa que fazia sozinho era beber água.
    Nos últimos dias a depressão já nos assolava e ele parecia perceber isso. Ficava nos olhando como quem diz: "Olha, não sinto nada! Estou bem!"
    Algumas vezes ainda arriscava um balançar de rabo quando nos via chegar.
    Billy morreu na madrugada do dia 22, no meu colo, com carinho e muitos beijos.
    Não sei explicar como, mas eu sabia o que estava acontecendo e não fiquei desesperada ou triste. Eu estava estranhamente tranquila e rezava ...
    Ele foi se apagando ... seu coraçãozinho foi ficando fraquinho (e eu sentia isso na palma da minha mão) e aos poucos se desligou.
    Ainda fiquei ali, sentada, com ele sobre o peito, sentindo seu cheirinho e a maciez de seu pelo. Ele parecia dormir...
    Sei que ele está em paz e que fizemos a coisa certa, embora isso, muitas horas, não amenize nossa dor e nossa saudade.
    Tinha de ser. E foi no momento dele!
    Boa sorte para todos e nunca, nunca desistam!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Angela, tudo bem?
      Acabo de ler seu relato e do Billy, e quero compartilhar que me emocionei muito. Tenho uma pequena de 17 anos que está muito debilitada por conta da IRC, fraca por conta da anemia, só come na seringa e mal levanta para suas necessidades. Chegamos muito perto da eutanásia, pois vê-la definhar sozinha durante a internação nos parecia muito cruel. Mas não consigo. Ainda não sei se por egoísmo ou solidariedade, mas acho que enquanto ela estiver tranquila e serena, no conforto e amor de casa, essa é a melhor opção. Enfim, obrigada por compartilhar seu relato. Isso que li sobre o Billy é exatamente o que desejo para minha Pituca.

      Excluir
  21. Oi Dra. Karine.

    Meu nome é Carolina, fui mãe do Simba um poodle lindo, muito parecido com este que está com você na foto) por 14 anos. Ontem o meu amor foi ficar com Papai do Céu e eu te confesso que hoje quem quer morrer sou eu. Foi feita a eutanásia nele ontem, ele saiu do meu colo, deppois me dar muitos beijos, pra morrer. Você não imagina a dor que eu sinto, a culpa por não ter conseguido cuidar dele, por Nào ter conseguido protegê-lo. Ele estava aleijadinho das duas patas traseiras, tinha catarata, stava um pouco surdo, tinha um tumor no bumbum.. E há mais ou menos 1 mês vinha vomitando todos os dias, não conseguia mais comer.. Ele ficou internado por uma semana no veterinário, tomando soro.. Visitei ele todos os dias, estive com ele no colo todos os dias, rezei.. mas ele não estava reagindo ás medicações como deveria.. O próprio veterinário e a minha mãe, mmesmo com muito sofrimento, chegaramm á conclusão que não tinha outro jeito e que a eutanásia era o melhor a se fazer. Eu não concordei, mas acho que por não aguuentar mais aquele sofrimento, eu deixei.. E ele se foi nos meus braços. Nossa, que dor!! Agora sinto um misto de saudade e culpa enormes, que me consomem.. Não tenho mais vontade de nada.. E me sinto a pior das criaturas por não ter conseguido cuidar do meu filho, eu trai a confiança que ele tinha em mim, a confiança de que eu nunca ia deixar que nada de ruim acontecesse com ele. Eu nem sei.. Todos falam que foi melhor pra ele, que tiramos a dor dele, mas será? Será que ele nào se sentiu abandonado por mim? Eu não sei, só sei que dói muito..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenha culpa. Sou a favor de manter vida digna e a eutanásia é o último recurso q deve ser decidido pela pessoa q ama o animal.

      Excluir
  22. Oi Dr. Karine,
    tenho um shy tzu(Flocos) com 1 ano e 9 meses e descobri que ele está com IRC. Está fazendo fluidoterapia, tomando eritropoetina, comendo(na seringa) ração renal, mas é tão difícil. Ele não quer comer e temos que dar na seringa. A ração renal tem um cheiro horrível. Já fizemos comida caseira p/doente renal e ele também não quis. Sempre foi chato p/comer e agora piorou, pois deve estar com enjoos. Posso dar banana? li que banana, mesmo tendo potássio, não faz mal. e que o melhor é ferver-la antes de comer. Isso é fato? Seu post é lindo. Chorei, ainda mais passando por isso.Que Deus nos abençoe.

    ResponderExcluir
  23. Ola, Karine
    Tenho uma Golden de 6 anos a Milla é é linda, mas esta com insulficiencia renal grave, ela fez soroterapia e o vet disse que ela nao esta respondendo ao tratamento, entao eu optei em traze la para casa, assim ela fica comigo e meus tres filhos os ultimos dias dela.

    ResponderExcluir
  24. QUERIDA KARINE ADMIREI VOCE SEU TRABALHO E AMOR , MAS PENSO QUE MUITAS PESSOAS ACABAM OPTANDO PELA EUTANASIA, POR NAO TER ONDE TIRAR TANTO DINHEIRO, AS PESSOAS TEM CONTAS ,E PENSAM NO DESESPERO; EM FAZER TUDO QUE O ANIMAL PRECISA MAS SABE QUE TODO PROCEDIMENTO É EXTREMAMENTE ONEROSO, POR QUE TODOS PROCEDIMENTOS SAO TAO CAROS? SE FOSSE MAIS ACESSIVEL, COM CERTEZA HAVERIA CHANCE DE SOBREVIVENCIA PARA MUITOS ANIMAIS; NAO SERIA PREJUIZO PARA A CLINICA,POIS AUMENTARIA O NUMERO DE ATENDIMENTO E PROMOVERIA MAIS SAUDE E VIDA AOS ANIMAIS QUE TANTO VOCE E EU AMAMOS! BJS

    ResponderExcluir
  25. Minha querida,estou num dilema enorme;minha gata esta com a mandibula quebrada,muito inflamada e sangrando muito.Dói meu coração só em pensar em sacrifica-la.Levei na faculdade e no raio x,acusou duas balas de chumbinho,alem de cancer de mandibula.Tenho 74 anos e ninguem para ajudar a levar pois fica distante 98 km.Teria que levar de manhã e pegar de volta as 17 hs, o que infelizmente tornou-se impossivel.Dei os remedios indicados pela medica mas agora ela esta sangrando muito,não come;so bebe agua;as vezes lambe uma sopinha de frango mas a ração não consegue comer.Sempre tem sangue por toda a casa mas ela me olha com tanto amor que só consigo chorar...O que eu faço, meu DEUS?????????

    ResponderExcluir
  26. Karine, boa noite. Gostei muito do texto sobre eutanásia. Gostaria de lhe perguntar como faria no caso de descobrir que seu cãozinho tem leishmaniose. Agradeço sua Atenção.

    ResponderExcluir
  27. Me sensibilizei muito lendo algumas situações aqui.. Mas infelizmente o motivo pelo qual cheguei aqui é pq estou em desespero e venho fazer um apelo para conseguir uma ajuda para meus animais. Tenho 3 animais, sendo 2 gatos e um cachorrinho que são meus e que são idosos e que precisam muito de ajuda pois descobri ha quase 2 meses que meu gato de 13 anos tem Insuficiência Renal Crônica e está muito mal apesar de tudo q eu tenho feito para ajudá-lo, tenho um cãozinho pinscher que descobri ser diabético e precisa tomar insulina todos os dias 2x ao dia, e uma gata de 14 anos com um nódulo na mama. Infelizmente no momento estou desempregada e apesar dos esforços q eu tenho feito para tratar deles, não estou tendo condições de bancar o soro, as agulhas, os remédios para meu gato renal, e a insulina com as agulhas para meu cachorrinho. Aceito qualquer ajuda como bolsas de soro fisiológico 0,9 para meu gato, o remédio Fortekor 5, ração renal, enfim, a ajuda não precisa ser em dinheiro. Estou fazendo este mesmo apelo em várias outras páginas do face. Peço que por favor entrem em contato comigo no meu face, se quiserem fotos dos meus animais, meus contatos, ou se pelo amor de Deus alguém puder me ajudar de alguma forma, pois não sei mais oq fazer, estou em desespero e não consigo parar de chorar.
    Hoje, meu gato está numa magreza assustadora.
    Se quiser, pode vir até minha casa, ver a situação do gato hoje, os medicamentos, enfim, estou em São Paulo capital.

    Att,

    Fernanda

    ResponderExcluir
  28. Minha cachorra tá internada com problemas renais ela tem 11 anos, já fez hemodialise que custou uma fortuna. Vai precisar de mais e eu não tenho como pagar, já passam de 5 mil reais. Não quero sacrifica-la, simplesmente não posso tomar essa decisão eu sei que ela vai morrer já perdeu muito peso 5 quilos em 2 semanas, já não come, vomita o tempo todo, não consegue ficar em pé sem ajuda, temperatura caindo. Quando estamos juntos ela me olha nos olhos com aquela carinha de anjo ( o nome dela é Angel) e parece agradecer por estar junto fazendo companhia nesta fase sofrida. Sei lá o que ela pensa ... machuca muito essa situação toda.

    ResponderExcluir
  29. Olá, acessei esse blog tentando achar a resposta se minha gatinha, a Lili, de 16 anos sofreu ao morrer. Sim, ela morreu ontem, 19/07/15, com DRC. Percebemos que ela não estava bem já fazia uns dois meses, comia pouco, tomava muita água e urinava muito. Assim que percebemos essas mudanças a levamos à uma das clínicas veterinárias mais completas no quesito exame e experiência da cidade, onde ela fez diversos exames e constatou-se que sua queratina era de 6,8 (péssima). Não deu outra, soro na veia, por três dias seguidos, o que não adiantou muito. Ela passou a tomar remédios e vitamina diariamente, mudamos sua ração para a úmida Renal da Royal Canin (100 gramas por R$ 5,20), que ela não gostou muito, ela também começou a fazer soro subcutâneo em casa. Gastamos cerca de R$ 500,00 no período de um mês com ela, mas gastaríamos mais se soubéssemos que ela poderia ser curada. Fizemos o nosso melhor, na primeira semana ela reagiu bem, até pedia comida, mas com o passar do tempo ela piorou muito, já estava pesando 1,5kg. Nossa certeza é que fizemos tudo o que foi possível, li muito sobre essa doença, fizemos tudo o que estava ao nosso alcance. Ela morreu nos meus braços, literalmente vi ela morrer. A Lili morreu no domingo, mas desde sexta-feira ela já nem mais caminhava direito, não comia e nem tomava água. Fiz soro, dei remédio, comida e água na boca, mas nada, ela continuou piorando. Aí pensamos em eutanásia, eu era contra e sou contra perder uma vida, mas acabei percebendo que ela poderia ter sofrido um pouco menos se tivesse sido feito esse procedimento. Depois dessa experiência digo que não sou contra a eutanásia em casos que o animal não tem mais cura e está sofrendo muito, afinal não conseguir caminhar e respirar deve ser agoniante. Chegamos a ligar para ver essa opção, mas em seguida ela morreu, no meu colo, com a boca aberta, sem já conseguir respirar direito e chutando uma das patinhas traseiras, gelada. Foi assim por cerca de duas horas. Então ela simplesmente parou. A choradeira foi unânime na minha casa. Ela estava conosco desde pequena, cerca de 4 meses, quando minha família se mudou para a atual residência e ela estava lá, abandonada. Nunca tive uma gata antes, meu pai não gostava de gatos, mas ela nos conquistou de uma maneira que ela dormia com a gente na cama, então vocês imaginam o resto. Eu agradei ela com comida, ela sempre me esperava chegar depois da escola, no ensino fundamental, no médio, na faculdade e depois do trabalho. Quando eu ou minha irmã chorávamos lá estava ela miando e nos afofando, tentando ajudar. Mas no fim ela já não conseguia mais fazer isso. Depois que eu casei ia na minha mãe só para dormir com ela nos sábados à tarde, enquanto meu marido trabalhava. Demos muito amor, assim como ela nos deu. Quando soube da doença ia todos os dias lá vê-la e lhe dar medicação. Minha mãe disse que ela escolheu morrer no domingo pois sabia que eu estaria lá, e, morreu no lugar onde ela mais gostava de estar no meu colo. Por um lado fiquei feliz dela ter morrido em casa, o lugar onde encontramos ela e onde ela foi enterrada. Sem dúvidas ela foi um presente de Deus para nós, teve uma vida muito feliz e bem cuidada, mas chegou sua hora. Queria que seu nome estivesse no Guiness Book como a gata mais velha do mundo, mas não deu. De qualquer forma sua lembrança estará sempre em nossos corações.

    ResponderExcluir
  30. Oi Karine, atualmente estou passando por isso, a minha pit bull tem leishmaniose, teve sarna negra e agora está com insuficiência renal crônica, ela está em tratamento há quase 1 mês, a anemia normalizou, as plaquetas tbm, porém surgiu uma infecção bacteriana, a creatinina que no início era 5,2 agora está em 7,8, ela está no soro diariamente subcutâneo, agora vai entrar com o antibiótico trissulfimp, porém me sinto mal por deixá-la sofrer como está, pois tem horas que ela reclama, me olha com olhos que cortam meu coração, não tem forças para se levantar e com isso acaba defecando(qdo consegue) e urinando no mesmo local onde dorme, então a limpeza do local é constante, isso me dei a triste, pois ela sempre foi muito Limpinha e ela fica super incomodada em ter q fazer as necessidades no mesmo local onde fica, as fezes está líquida, ela não come, mesmo colocando a comida com a seringa dentro da boca dela e tbm não está aceitando a água, sinto que ela está nos deixando dia após dia....é muito guerreira, tem horas que tenho o pensamento de eutanásia, mas meu coração não deixa...

    ResponderExcluir
  31. Oi Karine, atualmente estou passando por isso, a minha pit bull tem leishmaniose, teve sarna negra e agora está com insuficiência renal crônica, ela está em tratamento há quase 1 mês, a anemia normalizou, as plaquetas tbm, porém surgiu uma infecção bacteriana, a creatinina que no início era 5,2 agora está em 7,8, ela está no soro diariamente subcutâneo, agora vai entrar com o antibiótico trissulfimp, porém me sinto mal por deixá-la sofrer como está, pois tem horas que ela reclama, me olha com olhos que cortam meu coração, não tem forças para se levantar e com isso acaba defecando(qdo consegue) e urinando no mesmo local onde dorme, então a limpeza do local é constante, isso me dei a triste, pois ela sempre foi muito Limpinha e ela fica super incomodada em ter q fazer as necessidades no mesmo local onde fica, as fezes está líquida, ela não come, mesmo colocando a comida com a seringa dentro da boca dela e tbm não está aceitando a água, sinto que ela está nos deixando dia após dia....é muito guerreira, tem horas que tenho o pensamento de eutanásia, mas meu coração não deixa...

    ResponderExcluir
  32. Oi Karine, atualmente estou passando por isso, a minha pit bull tem leishmaniose, teve sarna negra e agora está com insuficiência renal crônica, ela está em tratamento há quase 1 mês, a anemia normalizou, as plaquetas tbm, porém surgiu uma infecção bacteriana, a creatinina que no início era 5,2 agora está em 7,8, ela está no soro diariamente subcutâneo, agora vai entrar com o antibiótico trissulfimp, porém me sinto mal por deixá-la sofrer como está, pois tem horas que ela reclama, me olha com olhos que cortam meu coração, não tem forças para se levantar e com isso acaba defecando(qdo consegue) e urinando no mesmo local onde dorme, então a limpeza do local é constante, isso me dei a triste, pois ela sempre foi muito Limpinha e ela fica super incomodada em ter q fazer as necessidades no mesmo local onde fica, as fezes está líquida, ela não come, mesmo colocando a comida com a seringa dentro da boca dela e tbm não está aceitando a água, sinto que ela está nos deixando dia após dia....é muito guerreira, tem horas que tenho o pensamento de eutanásia, mas meu coração não deixa...

    ResponderExcluir
  33. A decisão pela eutanásia vai depender de muitos fatores, no caso do Duque vi no post que ele ainda andava, se alimentava e tinha alguma atividade, mas existem aqueles animais que já estão idosos e acometidos por doenças irreversíveis que causa muito sofrimento e dor, animais que perderem a capacidade de exercer suas funções básicas como comer, beber agua, fazer necessidades fisiológicas, estes sim precisam ser aliviados da dor, pois muitas vezes a dificuldade é nossa de libertá-los.

    ResponderExcluir
  34. A decisão pela eutanásia vai depender de muitos fatores, no caso do Duque vi no post que ele ainda andava, se alimentava e tinha alguma atividade, mas existem aqueles animais que já estão idosos e acometidos por doenças irreversíveis que causa muito sofrimento e dor, animais que perderem a capacidade de exercer suas funções básicas como comer, beber agua, fazer necessidades fisiológicas, estes sim precisam ser aliviados da dor, pois muitas vezes a dificuldade é nossa de libertá-los.

    ResponderExcluir
  35. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  36. Eu queria saber se a dra karina ia querer me xingar porque agora estou pensando em sacrificar minha cachorra, embora minha veterinaria e contra e eu não tenha coragem e tudo que eu queria era que minha veterinaria falasse: chega, não dá mais, esta na hora de sacrificar. Porque daqui a pouco quem vai ficar doente sou eu e a veterinaria mais preocupada em prolongar o sofrimento do animal. Os veterinarios deveriam ser sensatos e recomendar a eutanasia quando não ha mais o que fazer, apenas esperar o cão piorar e assistir seu sofrimento a cada dia. Minha cadela esta com renal cronica. Tem 15 anos, cega. A ureia alta afetou seu cerebro. Tambem esta gaga. Ate ai tudo bem, faz 4 meses que dou soro subcutâneo, ranitidina, ferro, etc. Come muito pouquinho mais come. So que agora esta tendo convulsão TODOS os dias pelo menos umas duas vezes. Ta agitada, dormindo mal, toda esquisita, cheio de tique. E o que a veterinaria faz? Receita remedio atras de remedio. Gardenal. Nao deu certo, dopou a cachorra. Rivotril? Deu reaçao. Diazepan, cachorra nao consegue andar. Dopa. Ai , tipo eu fazendo teste de remedio na cachorra. Ela piorando visivelmente. Pra que? Ela tem 15 anos. Qual a perspectiva de melhorar. Sera que nao da pra ser um pouco sensivel e ver que ela esta sofrendo. Eu estou sofrendo e OBVIO: nao tem mais o que fazer? A minha raiva e que e muito dificil sacrificar e eu necessitava de uma veterinaria que me ajudasse. Ajudasse a despedir de minha cachorra com dignidade e que uma hora o fim é inevitavel e prorrogar a vida só prorroga o sofrimento. Mas não, ela receitou mais outro remedio manipulado, 150 reais, para tentar conter as convulsões. Nao adiantou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dia 6 de abril, 11 dias depois de eu escrever essa mensagem, A Biba morreu no meu colo. Ela ficou com falta de ar, deu um grito e morreu. No dia 6 de abril as 22:30hs

      Excluir
  37. Bem-vindo para o médico Walter clínica. Você quer vender seu rim ou de outros órgãos se sim aplicar para uma venda hoje e você vai ser dada a máxima satisfação que me need.Contact via e-mail: doctorwalterclinic@gmail.com

    ResponderExcluir
  38. Pensamento raro, mas sensato. Se o melhor para o animal é ter seu sofrimento aliviado, por não possuir dívida "cármica", então porque Deus não o leva? Será que Ele é menos caridoso e justo do que nós, seus filhos imperfeitos? Parabéns.

    ResponderExcluir
  39. Pensamento raro, mas sensato. Se o melhor para o animal é ter seu sofrimento aliviado, por não possuir dívida "cármica", então porque Deus não o leva? Será que Ele é menos caridoso e justo do que nós, seus filhos imperfeitos? Parabéns.

    ResponderExcluir
  40. Oi, to passando por um problema com minha cadelinha. Ela tem 17 anos. Tem problema,de coração, pulmão e rins.
    Teve 2 AVC. O último em Maio. Ela não anda mais. É cega a uns 4 anos.
    E agora tem uma semana q não aceita nenhum tipo de alimento. Já testei alimentos caninos e humanos. Nada ela,aceita. Só bebé sgua.
    Está pele,e osso. Mas, não demonstra dor. Dorme, acorda tranquilamente.
    Não tenhp coragem de,fazer eutanásia. E nem quwro interna-la pra tomar soro, pq sei q ela vai sofrer e não vai adiantar, pois ela já está mto limitada por causa da idade.
    Eu acho que ela está mto cansada e que não quer mais viver. Resolvi cuidar dela com amor até o fimal. Até Deus achar que ta na hora. Dra.a senhora concorda comigo? Preciso de uma palavra amiga!

    ResponderExcluir
  41. Oi, to passando por um problema com minha cadelinha. Ela tem 17 anos. Tem problema,de coração, pulmão e rins.
    Teve 2 AVC. O último em Maio. Ela não anda mais. É cega a uns 4 anos.
    E agora tem uma semana q não aceita nenhum tipo de alimento. Já testei alimentos caninos e humanos. Nada ela,aceita. Só bebé sgua.
    Está pele,e osso. Mas, não demonstra dor. Dorme, acorda tranquilamente.
    Não tenhp coragem de,fazer eutanásia. E nem quwro interna-la pra tomar soro, pq sei q ela vai sofrer e não vai adiantar, pois ela já está mto limitada por causa da idade.
    Eu acho que ela está mto cansada e que não quer mais viver. Resolvi cuidar dela com amor até o fimal. Até Deus achar que ta na hora. Dra.a senhora concorda comigo? Preciso de uma palavra amiga!

    ResponderExcluir
  42. Hoje fui pesquisar no google uma solução para um caso que esta acontecendo, e coloquei em pesquisa assim: a vaca esta cada mais enferma e não temos coragem de sacrificar. Pois é esse é meu drama, já se faz umas tres semanas que estamos cuidando de uma vaca em nossa propriedade e cada dia esta mais debilitada, estamos dando toda a assistência e ate agora o única coisa que as pessoas falam é que não tem jeito e que temos que sacrífica-la. Porem não temos coragem :(

    ResponderExcluir
  43. Minha gata está com câncer terminal e eu não tenho coragem nenhuma de fazer eutanásia é sei que ela está sofrendo. Operei ela 3 vezes quando a doutora disse que não operária mais.Estou muito triste e só posso passar unguento pra afastar as moscas .que tristeza mais não consigo fazer eutanásia

    ResponderExcluir
  44. Tenho um cachorrinho de 12 anos que é nefro e cardiopata, ele tem sido tratado há alguns meses, mas vez ou outra tem uma recaída, na última que teve passou 3 dias internado, voltou pra casa e agora, apenas 2 dias após a alta, tem se mostrado muito fraquinho novamente. A veterinária passou um montão de remédios que, além de caros, são difíceis de administrar. Outro fato que agrava o caso é que nos últimos meses ele não tem aceitado ração, apenas comidinha feita especialmente pra ele (carnes, arroz, legumes...) e a veterinária proibiu completamente esse tipo de alimento e ele tem sofrido muito com isso, e nós também :'( eu não sei mais o que fazer, às vezes penso que isso tudo e uma grande judiação com ele, mudar tão radicalmente o estilo de vida, na idade dele... Não sei se ele entende que é pro bem dele ou se pensa que nós não gostamos mais dele porque ele ta velhinho e não é mais aquele menino brincalhão. O que eu faço? Continuo o tratamento mesmo com o sofrimento dele? Ou deixo ele ser feliz fazendo (comendo) tudo que gosta, aproveitando o possível finalzinho da vida dele? Meu amor por ele é incondicional, mas me dói muito vê-lo sofrendo com essa doença se instalando aos poucos no corpinho dele.

    ResponderExcluir
  45. Bem-vindo ao hospital geral de Toronto, hospital especialista que compra rim ($ 370,000.00 dólares), deseja vender seu rim em troca de dinheiro? Se sim, entre em contato com o médico Anthony Craig hoje para obter uma transação confiável e boa por um bom dinheiro e para uma melhor cirurgia, entre em contato através de: torontogeneralhospital@aol.com

    Esperando por suas respostas ...
    Cumprimentos….
    Dr. Anthony Craig

    ResponderExcluir
  46. Bem-vindo ao hospital geral de Toronto, hospital especialista que compra rim ($ 370,000.00 dólares), deseja vender seu rim em troca de dinheiro? Se sim, entre em contato com o médico Anthony Craig hoje para obter uma transação confiável e boa por um bom dinheiro e para uma melhor cirurgia, entre em contato através de: torontogeneralhospital@aol.com

    Esperando por suas respostas ...
    Cumprimentos….
    Dr. Anthony Craig

    ResponderExcluir
  47. Há duas semanas o meu gato vem sofrendo de obstrução. Ele não conseguia urinário, só gotejava, estava comendo e andando. Na sexta-feira retrasada eu levei ele no vet e foi tentado passar a sonda, mas infelizmente não conseguiu. Na terça da semana seguinte o levei ao hospital público do tatuapé, onde foi feito um ultra-som. Constou que ele não tinha cálculos na bexiga mas sim uma inflamação. Levamos ele de volta pra casa. Ele ainda estava comendo e andando. Na quinta-feira ele amanheceu ruim, não queria comer, só ficava dormindo. Na sexta piorou, ele vomitou duas vezes, e estava tremendo, quase não conseguia ficar em pé. Na mesma noite o levamos ao hospital e ele estava com a temperatura baixa, deixamos ele internado. Ontem fomos visita-lo pela manhã, estava pior ainda, cada vez mais fraco. Pagamos o exame de sangue bioquímico onde constou a creatinina 11,8 e a uréia 554. A vet nos disse que ele estava com DRC, que precisava urgentemente tentar novamente a sondagem, foi tentando e não obtivemos sucesso. Hoje pela manhã trouxemos ele para casa, pois não temos condições de pagar mais um dia de internação e nem a cirurgia que a vet. recomendou. Ele está muito fraco e apático, os olhos vagos, não consegue piscar, nem comer, nem ficar de pé, mal se mexe. Amanhã pela manhã o levaremos ao hospital público como ultimo recurso, eu não sei mais o que fazer com ele. Estou alimentando-o via seringa, mas ele está tão fraco, estou com tanto medo que ele morra. Ele piorou tanto em tão pouco tempo. Estou esquentando luvas com água para aquece-lo.

    Chorei bastante com o seu post e os comentários sobre a eutanasia. Eu realmente não sei o que fazer se o vet. me disser que ele não sobreviverá.

    ResponderExcluir
  48. Sacrifiquei minha Cocker(Luna) de 14 anos, por causa da insuficiência renal. vários dias sem comer, internação de 72 horas no soro acompanhamento veterinário com alimentação e medicação forçada. Mas antes disso minha esposa e eu levamos várias vezes para tomar soro.
    Nos 2 últimos dias ela já estava em estado crítico, vários dias sem comer e beber água, a gente dava alimentação e água forçada. Ela caminhava com dificuldade, andava sem rumo sem cessar. Só se acalmava quando pegava no colo de barriga pra cima. Tinha que fazer balanço que nem um bebê pra dormir, ela tinha um olhar fixo aos meus olhos, depois virava a cabecinha e dormia. Meu...não há coisa mais triste que ver o olhar do Cocker, que já tem um olhar meigo ...com dor.Sem contar a respiração que já estava começando a ficar dificultosa.
    Até que dia 18 de julho, após 2 dias em estado crítico, onde ela ficava em cantos da casa, parecendo perdida e chorando por não conseguir sair de cantos(deve ter afetado o cérebro por causa da uremia)...minha mãe ligou em casa dizendo que tinha conseguido um horário com o veterinário para a EUTANásIA!
    Momento final muito triste, peguei no colo por uma última vez com a barriguinha dela pra cima, por ser idosa ela fazia barulhos parecidos com ronco respiratório, olhar fixo e triste(não é normal de Cocker ter um olhar apagado) e logo dormiu.
    Pensei comigo; a natureza sabe o que faz, não seria melhor deixar ela morrer naturalmente?
    Mas eu lembrei que ela não era um animal solto, "não tem essa de morte natural" quando se cria bichinhos em cativeiro, casas urbanas...logo, ela é como nós, seres humanos! minha filhinha...
    Acompanhei até o fim, sedação, e as três seringas fatais da Eutanásia (Etimologicamente, este termo se originou a partir do grego eu + thanatos, que pode ser traduzido como “boa morte” ou “morte sem dor”) , dormiu que nem um bebê e morreu em pouco mais de um minuto, lentamente e sem dor. Mas a minha dor foi imensurável, terrível, inconsolável...mas ao mesmo tempo um alívio para minha pretinha, minha única amiga de verdade que tive na vida(sem contar com minha mãe). Não deixei ela definhar com uma morte lenta e dolorosa. Ofereci a ela, num ato de "sacrifício"(eutanásia) para um bem maior, onde ela dormiu aqui mas acordará num lugar bem melhor onde será livre de todas essas doenças. Se não existe possibilidade do animal se curar, por favor não seja egoísta, eles não são brinquedos para encher nossos egos e sim amigos. Nunca deixe um amigo (cão ou gato)sofrer até definhar e morrer. Não seja covarde e dê realize um último ato de amor. É covardia e egoismo deixar o bicho sofrer.
    É bom não confundir doença grave tratável com doença terminal. Se há chances de melhore, lute por ela até onde der, caso contrário não seja covarde.

    ResponderExcluir
  49. The world has turned into a generation of internet possibilities and everythings has been made easy and fast to get by the help of the internet. My name is Brandy Adams, i bring you good news about the blank ATM smart card. This card is able to withdraw a large sum of money without the bank been awear that money was removed, this card has programmed softwears installated to make everything work fast. There are many people who lie about having this cards, but am here to tell you that there are only few hackers with the real softwear to produce this card. I contacted more than 10 hackers and i never recieved this card, but on a faithful day i just came across this email { unlimitedhackersnetwork@gmail.com} i told my friend something tells me this hacker is real and we both contacted him after a while he wrote us back telling us the procedures to obtain this card, and this was the options he gave us to make our choice
    This are the type of cards we have, and here is the amount of money each can withdraw per day, and also the price we sell.
    All our cards expires after 1 year
    FREEDOM CARD $10,000 per week and is sold for $250
    VERVE CARD $15,000 per week and is sold for $400
    MASTER SMART CARD $25,000 per week and is sold for $600
    MASTER DEBIT CARD $30,000 per week and is sold for $800
    VISA MASTER CARD $40,000 per week and is sold for $1000
    After we making a choice we waited for just 72hour which was three days and we received the parcel and we followed all the instructions given and it really worked. Am just posting this here for as many that needs help to see and make a choice to stop living in debts and live a happy life. me and my friend are living example and we have also help many people obtain this card. HERE IS THE CONTACT ADDRESS IN CASE YOU WISH TO CONTACT THEM unmilitedhackersnetwork@gmail.com

    ResponderExcluir